segunda-feira, 28 de novembro de 2011

RESULTADO DA PROMO QUEM SÃO OS PAIS DE BIANCA!

Antes tarde do que nunca!!!! Com um atraso enorme, já que a Irlanda e Porto Alegre se enfiaram no meio, estamos soltando finalmente o resultado da promoção do Lua das Fadas, "Quem são os pais de Bianca"? Como essa foi uma promo muito difícil com uma pergunta de Vestibular, o prêmio tinha que ser legal. Então o vencedor receberá em casa um Espelho das Fadas, basicamente, um espelho encantado por mim com a energia das fadas para sintonizar com o lado positivo desse reino. Ele ajudará em assuntos relacionados a beleza, amor, amizade, sorte, estudos, projetos intelectuais e imaginação. Porém, como a pergunta é realmente MUITO difícil, decidi dar um mimo também para os que acertaram, mas não foram sorteados! Então todo mundo ganha alguma coisa!



Agora, por que essa promo foi tão difícil? Os nomes dos pais da Bianca não aparecem em Lua das Fadas! Os personagens aparecem a atuam, mas seus nomes nunca são ditos! Seus nomes estão em outro livro, O Portal, que conta justamente a aventura deles! Foi uma homenagem que fiz a personagens que amo muito de uma história inesquecível pra mim. Só valia os nomes completos, outra coisa que só ia aparecer lá na página 172 do Portal! Teve um monte de espertos que jogaram no Google e acharam um nome francês relacionado à Lorena no livro de Aldous Huxley, Os Demônios de Loudun. Outros espertos não entenderam a piada do Marcos no livro ao mostrar uma placa para dar força para Lorena num jogo de basquete da Universidade. O nome na placa era Lorena Jordan, uma referência ao Michael Jordan, que muita gente já esqueceu (cruzes!). Por isso, o pessoal que acertou merece um prêmio, né não? Foi osso!!!!

RESPOSTA CORRETA: Os pais de Bianca se chamam Urbain Grandier e Lorena de Saint'Anna.

VENCEDORA: Ana Paula de Vecchio Morante
Nome de seguidor do blog: Ana Paula
Link da Resenha:

Link do Mural:


Acertaram e ganharam um brinde pelo esforço:

Vah.. Nessa
Resenha do Lua das Fadas no skoob :http://www.skoob.com.br/estante/livro/10726943
Luciana Ferreira de Moraes
Nome de seguidor: Luciana F. de Moraes.

Morgana Gisele
Nome de seguidor: Gisele Lacerda
Resenha no Skoob é http://www.skoob.com.br/estante/resenhas/356360
Nome: Bianca Schmidt Bonatto
Nome de Seguidor: Bianca aka Luna del'Aislin
Link da resenha no Skoob: http://www.skoob.com.br/estante/resenhas/179576
Michael Shahin

Pra quem ficou curioso, O Portal é um romance de fantasia escrito antes de Lua das Fadas e contra a história dos pais de Bianca. Você o encontra para comprar clicando AQUI!
Valeu a todo mundo que participou! E valeu também pela paciência e compreensão com os lobos aqui que têm que matar um leão por dia! Essas pessoas receberão e-mails para pegarmos o endereço e então receberão seus prêmios em casa! E em alguns dias, teremos mais promoções! Mas, pra participar, tem que ser seguidor! Então, aproveita e segue o blog!!! 

Resultado da Promoção O PORTAL


As coisas pegaram fogo por aqui e nós atrasamos o resultado das promoções, mas como estamos com mais um monte de brindes aqui pra sortear, vamos fazer logo essa fila andar! A Promoção para ganhar o livro O Portal rolou há mais de um mês e consistia em deixar um comentário em qualquer um dos livros no site da Linhas Tortas (www.linhastortas.com). O vencedor vai receber na sua casa o livro autografado com o marcador especial para blogueiros. O vencedor dessa promo foi o o João Marcos Bergamin Moreira, seguidor do Alcateia como GasparHilton. Um e-mail já foi mandado e agora só aguardo o endereço pra mandar seu Portal, João Marcos! E você que ainda não ganhou alguma coisa do Alcateia, fique esperto! Daqui a pouco, o resultado da Promo Quem São os Pais de Bianca!!!

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

LUA DAS FADAS: a resenha definitiva

A lendária "Vózinha" da Nanda (do blog Viagem Literária) fez uma vídeo-resenha que abalou os alicerces da literatura nacional.

Veja seus comentários abaixo registrados em película para a posteridade:



Visite o www.viagemliteraria.com.br

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

TUDO AO MESMO TEMPO AGORA!

Gente, eu peço mil desculpas! Tô atrasada com o envio dos prêmios da promoção da foto (ainda!) e com o resultado das duas promos (Portal e Quem São os Pais de Bianca)! É que eu tô organizando o Avalon, um evento de Idade Média, ao mesmo tempo em que tenho que estar no Fantasticon, e entregar pautas, e fazer matérias e encantar caixas e eu tô maluquinha! Eu peço milhões de desculpas e um pouquinho de paciência porque semana que vem, colocarei isso em dia, OK? Aproveita e continua mandando seus e-mails que vou estender a promo por conta da confusão! Ah! Quem estiver no Fantasticon neste sábado, pode levar um mimo especial que fiz para quem comprar um livro meu lá! Só tenho 20, então ficarão para os 20 primeiros! Segue também a divulgação de tudo o que vai rolar neste final de semana encantado em AVALON!

É neste fim de semana que montamos em cavalos brancos e combatemos cavaleiros negros! Ou o inverso! Não importa, o que importa mesmo é que estaremos juntos num evento feito para ficar na memória e no coração! Ja temos a programação parcial do evento, então você já pode se programar! Lembrando que o Avalon se estende para um jantar ao som do Olam en Sof no Bar Aman, na Noite em Avalon, e conta com muitos dragões voando no pré-lançamento (na verdade, é só um encontro, já que o livro não ficou pronto) de Os Dragões de Titânia, de Renato Rodrigues e no encontro com as fadas e lobos comigo, no Fantasticon! Agora, vamos à programação do Avalon de sábado e domingo!


Sábado

Sala de Apolo e pátio: dança circular, encenações, brincadeiras e gincanas.
Espaço todo: brincadeiras e estandes para vendas.
Oráculos.

Às 13 horas: Apresentação do grupo Olam ein Sof

Palestras:

Das 11h30 às 12h30 – Silvana Martins. Tema: Rito a Deusa Sulis
Sulis é a palavra celta para “Sol” e “Olho”, é considerada uma deusa solar. Portanto um mergulho profundo em suas águas curativas é primordial para darmos inicio a este grande evento "Avalon" assim, nos purificando, e revitalizando para realizarmos uma jornada dupla, sábado e domingo, bebendo do conhecimento deste marco e recebendo as bênçãos solares e curativas da deusa.

Das 13h às 14h - Pandora de Lys. Tema: Nas Brumas da Sedução
Atire a primeira pedra quem não adora sentir-se belo, atraente, sedutor e amado!
Mergulhando no universo das feiticeiras de Avalon, aprenderemos antigos e secretos feitiços, poções, elixires e encantamentos para atrair mais amor, beleza, sedução, glamour e também potencializar nossa sexualidade. As mitologias Celta e Galesa são riquíssimas e ao se deixar envolver por estas brumas, com certeza, sua vida afetiva nunca mais será a mesma!

Das 14h15 às 15h15 – Eddie Van Feu. Tema: O LOUCO
Do bufão ao maluco, uma releitura de uma das mais complexas e ricas cartas do Tarot, como ela se aplica em sua vida, como ela pode atrapalhar e ajudar em qualquer fase ou aspecto e como ela pode ser a resposta que você estava procurando!
Das 16h às 17h – Marcos Reis. Tema: Da Magia Celta ao Mago Merlin
No Caldeirão Mágico Celta, buscaremos a Inspiração para nos encontramos com nossos Mestres da Magia. Uma vivência ao som dos tambores e histórias que levarão nosso imaginário ao Outro Mundo. Um mundo de Cura e Sabedoria.

Das 17h30 às 18h30 – Althea de Palas Atena. Tema: Numerologia e Carma
Nesta palestra, associaremos o estudo destes dois assuntos para compreendermos um pouco mais sobre os seus benefícios e que através dos seus conhecimentos, poderemos alcançar o direcionamento para as diversas etapas que se concluirão no processo evolutivo de nossas vidas.

Das 19h às 20h –Edu Scarfon. Tema: As Deusas Tríplices do Mundo Celta
Na última atividade do primeiro dia de Avalon, teremos a oportunidade de conhecer três deidades importantíssimas do povo celta e extremamente cultuadas na bruxaria moderna:
Brigit, Deusa da Poesia e da Inspiração; Cerridwen, Deusa da Feitiçaria; e Morrighan, a Senhora dos Corvos e das Batalhas. Tais deusas possuem múltiplos atributos e o culto às suas três faces – jovem, mãe e anciã – é bastante evidenciado até os dias de hoje. Faremos uma explanação do universo dessas divindades tríplices e no final, um ritual de conexão, pedindo que abençõem nossa trajetória espiritual.


Domingo


Sala de Apolo e pátio: dança circular, encenações, brincadeiras e gincanas.
Espaço todo: brincadeiras e estandes para vendas.
Oráculos.

PALESTRAS:

Das 11h às 12h – Laurette Sidi. Tema: Rhiannon
No mundo mágico da Idade Média , a magia das Deusas de Avalon traz um grande aprendizado da antiga religião, que nos fortalece através de suas lendas, mostrando caminhos que podemos seguir, em busca de equilíbrio e amor próprio. Rhiannon, deusa dos encantamentos e da fertilidade, tem poderosa presença invocada em Avalon, por ser deusa do submundo, da noite, da emoção, da lua e do drama. É a donzela saída do submundo (como Perséfone), sendo a soberana, que transmite todo seu poder através das palavras de confiança, inspirando-nos à sabedoria e a acreditar em nós mesmos!

Das 12h30 às 13h30 – Edu Scarfon. Tema: Magia Verde – O Poder das Ervas
Desde a antigüidade, as ervas sempre foram utilizadas para o alcance de diversos propósitos. Dotadas de poder mágico e terapêutico, auxiliam na busca por qualidade de vida e bem-estar em nosso dia a dia. Nesta ocasião, você vai aprender a trabalhar um pouco mais com este magnífico presente que a Mãe Natureza nos deu para alçarmos grandes transformarções. Venha descobrir como utilizá-las em garrafadas, banhos, defumações, rituais e até remédios naturais. Faremos juntos, uma receita extremamente eficaz de banho para prosperidade e sucesso. No final, honraremos o Green Man, Deus Celta dos Bosques e da Natureza.


Das 14h às 15h - Brianna Bastet Donella. Tema: Mudança de Forma e a Magia para Rejuvenescimento
Acessar a beleza almejada e assim, estar de bem consigo é algo que todos buscamos. Neste encontro, acessaremos a magia da deusa, Cerridwen, que no mundo celta, é a senhora da mudança de forma, a fim de despertarmos para o poder do rejuvenescimento. Faremos juntos uma poção voltada para esta finalidade. Participe!

Das 15h30 às 16h30 - Eddie Van Feu. Tema: A Magia dos Cavaleiros
Como antigos conceitos da Idade Média estão retornando aos tempos modernos através de novas ordens e religiões e como trabalhar com a egrégora dos cavaleiros e heróis medievais.

Das 17h às 18h - Aguardando confirmação.

Olha aí o grande Arthur Veríssimo que fez uma super matéria no primeiro Avalon para a revista Trip!



quarta-feira, 3 de agosto de 2011

CRÍTICA DO BLOG LITERÁRIO "GAROTA IT"


A Pâmela do blog Garota It recebeu o livro Lua das Fadas para fazer uma crítica, quer ver como foi?



Legal, né? CLICANDO AQUI você lê a crítica super bacana que ela fez.
Aproveite a conheça o Blog Garota It.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

FADAS E DRAGÕES NA BIENAL DO RIO!


por Renato Rodrigues
Toda edição da Bienal do Rio, a organização homenageia um país. E justamente neste ano, onde o Brasil será o destaque, teremos o maior número de autores estrangeiros convidados na história do evento. São 23 gringos já confirmados para a boca livre!

Mas os brazucas também estarão em alta:

Dias 3 e 4 de setembro, Eddie Van Feu ("O Portal" e "Alcateia - Prateada") fará duas tardes de autógrafos de "Lua das Fadas" no estande da Editora Escala e eu estarei lançando meu primeiro livro, "Os Dragões de Titânia - A Batalha de Argos", nas mesmas datas.

E vai ter brinde surpresa para quem comprar lá, heim!!!


Será uma semana especial para nós aqui no Alcateia.com, esperamos poder te ver por lá! :)
Os ingresso já estão à venda e é possível comprar a sua antecipada (R$ 12 a inteira) no site http://www.ingressomais.com.br/

Bienal do Livro RJ
de 1 e 11 de setembro no Riocentro.
(Leias mais detalhes sobre a Bienal na LOBOTECA)

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Novo clipe de Lua das Fadas - A Rainha e o Soldado

No meu novo livro, Lua das Fadas, duas músicas são citadas e são importantes na trama. A primeira é Blue Moon, da qual já fiz um clipe e postei aqui. A segunda é The Queen and the Soldier, de Suzanne Vega. Tentei colocar imagens que tivessem a ver com a letra e coloquei a tradução para quem não saca muito bem o inglês. Na história, Bianca precisa cantar uma música comovente ou seria devorada por feras assassinas. Achei a história comovente. Será que funcionou pra Bianca?

sábado, 9 de julho de 2011

Vozinha viaja na Lua das Fadas

Pra quem não conhece, o blog Viagem Literária é um dos mais lindos sobre literatura que já vi! A Nanda é a responsável e ela resenha sozinha aquele monte de livros! Mas ela pode contar com a ajuda de sua super equipe: o cachorrinho, o gatinho e a Vozinha! Nessa semana, ela postou sua concorrida semana que você confere inteira clicando aqui! Tomei a liberdade de copiar um pedacinho porque tava bom demais!

Como o livro é mágico, não duvidaria dele ter contato uma história totalmente diferente da que eu escrevi pra Vozinha!
"A Vozinha está lendo Lua das fadas e está gostando muito, disse que é engraçado demais e que ela ri sozinha com ele. Segundo ela conta uma história de um rapaz que vai viajar e não viaja e é uma confusão. Tem uma namorada e a namorada briga com ele, é um caso sério. Ai a namorada tem um filho e ele gosta muito do menino e o menino gosta muito dele e é aquela confusão, os dois brigam igual cão e gato... ta bom mesmo de casar né... ta bom mesmo de juntar os panos. E os pais moram numa fazenda longe e são ricos e ela não quer saber de nada dos pais, ela que tem que vencer sozinha na vida. Isso que é fome viu! Mais é engraçado demais o livro Mozinho, só você vendo, este homem é muito engraçado. Eu não sei que ainda não li, depois eu conto rs.


Ah e semana passada eu tinha filmado a Vozinha quando ela falou do livro Destino e hoje também neste de Lua das Fadas, como eu não sei nada de edição de vídeos não pude postar ainda, mas aguardem que em breve vocês vão poder conferir tudo que eu transcrevo aqui.  =]"

quarta-feira, 6 de julho de 2011

As músicas de Lua das Fadas - Blue Moon

Músicas são excelentes chaves para acessarmos outros reinos e sempre as utilizei para escrever. Além de inspiração, elas nos transportam para outros mundos. Para Lua das Fadas, escolhi algumas músicas que agora ficaram para sempre para mim como "as músicas de Lua das Fadas". Espero poder apresentar todas (algumas são raras) aqui. A primeira que quero apresentar é justamente a música que levou Bianca para outro mundo e que depois tocou no baile. Fiz esse clipezinho com a versão de Blue Moon que eu ouvi enquanto escrevia e as imagens que me inspiravam quando eu navegava pela Internet ou pelos meus sonhos. Espero que você goste!

segunda-feira, 4 de julho de 2011

PROMOÇÃO GANHE UM PORTAL!

Muito bem, gente! Já que temos uma promoção complicada no blog do Lua das Fadas (Quem São os Pais de Bianca?), vamos dar uma forcinha aqui, sorteando um livro O PORTAL, que traz a resposta pra participar do sorteio! É muito simples! Para participar, você precisa comentar um livro qualquer no novíssimo site da Linhas Tortas! É só clicar AQUI, escolher o livro e comentar. Aí você manda um e-mail com o link do seu comentário para eddie@eddievanfeu.com, com seu nome e o nome de seguidor. Ah, sim! Você precisa ser seguidor do Alcateia.com pra participar! É facinho! É só clicar em seguir, lá embaixo, na coluna da esquerda! Então, vamos correr! Concorra ao livro O Portal e ainda ganhe a chance de concorrer no concurso do Lua das Fadas! Ficou de boca aberta, né?

sábado, 2 de julho de 2011

PROMOÇÃO QUEM SÃO OS PAIS DE BIANCA!


 O povo pediu! O mundo clamou! Milhões de pessoas correm pelas ruas gritando e pedindo! Então, nós atendemos! Aqui vai mais uma promoção do livro Lua das Fadas! Agora, é o seguinte! Essa promo é mais difícil que as outras, então o prêmio terá que ser especial. Das pessoas que responderem corretamente à pergunta da promoção, cinco serão sorteadas. Todas as cinco receberão a garrafina do Urisk que foi dada no lançamento do livro, que é encantada, e cujo uso vocês terão que descobrir lendo o livro (já falei que não respondo). Uma dessas pessoas será contemplada com um prêmio especial! Um Livro dos Desejos das Fadas! É um caderno irradiador feito e encantado por mim, onde você pode escrever tudo o que desejar e as fadas vão ajudar a trazer o seu sonho para a realidade. Ele vai com um manualzinho de instruções. Se você não é do babado, não tem problema. Pode usá-lo simplesmente como diário de desejos, para acompanhar o andamento de seus projetos. E então? Pronto para a pergunta???

QUEM SÃO OS PAIS DE BIANCA?

Essa é a pergunta que vale o Livro dos Desejos das Fadas e a garrafinha do Urisk! Você tem que mandar os nomes completos dos pais de Bianca. Algumas pessoas já sacaram, mas eu vou dar uma dica de ouro! Quem leu O PORTAL tem mais chances de acertar!
Apenas SEGUIDORES poderão participar! Então, clique em SEGUIR na barra lateral direita do blog e participe! Isso permitirá que você entre em outras promoções também!

CHANCE EXTRA: se você fizer uma resenha e avaliação do Lua das Fadas no Skoob, mande o link e suas chances duplicam! Se colocar o nome do livro no seu mural, suas chances triplicam!!!

Como participar: mande o e-mail com a resposta, seu nome, o nome de seguidor e, se quiser as chances extras, links para as páginas do skoob onde você postou mural ou resenha.

Não conhece o Skoob? Então conheça! CLIQUE AQUI PARA ENTRAR NO SKOOB! E aproveita e me chama como amiga!
Então, galera! Vamos lá! Foi dada a largada! Descubra quem são os pais da Bianca e concorra à garrafinhas do Urisk e um Livro dos Desejos! Mande sua resposta para eddie@eddievanfeu.com.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

A Garrafinha do Urisk


Em Lua das Fadas, o Urisk tem uma importância danada, apesar de sua breve aparição. A garrafinha que ele dá à Bianca tem uma história engraçadinha. Eu me inspirei num colar que a Bruxa Elaine faz e vende nos eventos de magia e nas minhas aulas. É uma garrafinha linda, delicadinha, toda pequenininha, com um líquido purpurinado dentro e um desenho rúnico. Ela é um tipo de relicário que pode ser trazido ao pescoço. Eu não tinha ideia do que aquela garrafinha ia fazer quando surgiu na história. Como eu disse, essa história me foi passada, soprada pelas fadas, eu acho, e ela chegava aos pedaços, que se uniam magicamente em sequência, sendo uma surpresa até pra mim! As garrafinhas da Elaine, que também faz ótimos licores mágicos, podem ser compradas diretamente com ela. Apesar delas terem inspirado o relicário de Bianca, não devem ser usadas como mostra o livro. Para entrar em contato com a Elaine, mande um e-mail: elaine.alvess@hotmail.com ou ligue: (11) 6433-1864 / 7516-4076.
Esse é o Urisk em uma das ilustrações do livro no traço da Carolina Mylius.

Para o lançamento, eu fiz e encantei umas garrafinhas doadas pela Kátia Abelhuda (ela quis dar como presente para as fadas! Não é uma gracinha?). Todo mundo que comprou ou levou o Lua das Fadas ganhou a garrafinha. Para saber o que ela faz, como usar e o que fazer, é preciso ler o livro. E não adianta perguntar. Eu não respondo! Como sobraram algumas, estou pensando em fazer uma nova promoção com elas! O que vocês acham? 


Essa é a garrafinha com o elixir encantado que eu fiz. O que será que ele faz?


quinta-feira, 30 de junho de 2011

RESULTADO DA PROMOÇÃO MALUCA DAS FADAS!

Perdão pela demora, mas ESSA WICCA #61 NÃO ACABA NUNCA!!!! Desculpe! Voltando ao assunto, aí vai o resultado da Promoção Maluca das Fadas! Recebi várias fotos de vários pontos do país e foi super legal! Agradeço a todos que participaram e espero que possam continuar concorrendo nas próximas! Todo mundo ganhou uma Alcateia (revistaHQ)! Ganhou quem mandou no prazo, com endereço completo (que, pelo amor de Deus, inclui o CEP). Qualquer dúvida, entre em contato!



Luiz Henrique Santos, Guarulhos-SP
Lucas Semensato de Novaes, São Bernardo do Campo-SP
Regina S. do Patrocínio, Méier-RJ
Renata Alves Costa Passos, Mauá - SP
MARCUS VINICIUS DE ARAUJO, SAÚDE - ?
Ana Paula de Vecchio Morante, São Paulo - SP
Gustavo Oliveira, Aracaju - Sergipe
Evelyn Tegani, São Paulo/SP
Brunna Soares Cavalcante, Rio de Janeiro/ RJ
Orion Haru, Sapucaia do Sul - RS
JANETE SERAFIM DE OLIVEIRA, TAGUATINGA NORTE - D.F.
Rosângela Tavella, Curitiba-PR
Cristiane Meireles Santos, São Luís-MA
Sandrini, São Paulo – SP
Sandesh, Florianópolis – SC
Nanael Soubain, Belém – PA
Kátia Abelhuda, São Paulo - SP

E essa galera aqui, além da revista, levou uma Alcatéia #1 autografada!

Lucas Semensato de Novaes, São Bernardo do Campo-SP
Brunna Soares Cavalcante, Rio de Janeiro/ RJ
JANETE SERAFIM DE OLIVEIRA, TAGUATINGA NORTE - D.F.

Gustavo Oliveira, Aracaju - Sergipe
Rosângela Tavella, Curitiba-PR
Cristiane Meireles Santos, São Luís-MA

terça-feira, 28 de junho de 2011

Lua das Fadas: Resenha na Loboteca

por Carolina Mylius

Como minha primeira resenha, resolvi falar de um livro que tive o prazer de participar como ilustradora. É meio difícil escrever sobre este livro sem parecer um pouco deslumbrada. Sinto um orgulho imenso de ter feito parte dele e acompanhado o seu desenvolvimento junto com a autora. Mas confesso que o livro foi muito além das minha espectativas iniciais sobre a história.
O livro conta a história de Bianca, uma adolescente de 16 anos que, junto com sua melhor amiga Analice, resolve fazer uma sessão de tabuleiro oui-ja. Mas as coisas fogem ao controle e Analice acaba desaparecendo sem deixar vestígios. Bianca passa então a buscar compreender o que aconteceu e encontrar pistas que possam levar a onde está sua amiga. Nessa busca, ela consegue a ajuda de um anjo chamado Zacariel e juntos eles partem para uma grande aventura num mundo encantado cheio de seres incriveis, mas também muito perigosos. Nessa viagem, em meio as situações e perigos enfrentados, um profundo sentimento começa a surgir entre eles.
Não vou falar mais do que isso pra não dar spoiler, mas tem muita coisa a ser revelada sobre os personagens, principalmente sobre Zac (como Bianca chama o anjo). Eu já sabia mais ou menos o que acontecia no inicio da história porque a Eddie e eu discutíamos sobre ela quase que diáriamente por causa das ilustrações e da capa. Só que eu não esperava o que aconteceu na história do meio pro final. Foi uma supresa emocionante que me arrancou lágrimas dos olhos.
E a Bianca que parecia uma mocinha frágil, que vivia no meio de uma família perfeita, mostrou que tinha muito mais coragem e perseverança do que todos imaginavam (principalmente o Zac). Zac também me surpreendeu muito. Não imaginava os segredos que ele escondia, foi uma enorme surpresa e passei a gostar muito mais dele depois de saber disso.

 

Realmente adorei o livro. Adoro o estilo de escrita da Eddie, que mistura situações engraçadas com outras extremamente drámaticas e envolventes. Aliado também ao profundo conhecimento que ela tem sobre magia e seres encantados, que enriquecem a narrativa sobre essa temática. Já tive a oportunidade de ler outros livros dela como “O Portal” e “Alcatéia Prateada” e recomendo todos.
Talvez alguns vejam semelhanças com o livro O Rei do Ferro da Julie Kagawa (apesar da autora nunca ter ouvido falar desse livro). Tem alguns pontos semelhantes, mais pelo fato de ser também no reino das fadas, mas as histórias são bem diferentes. Enfim, leitura recomendadíssima para todas as idades!!!

Espero que gostem!

Abaixo estão algumas das ilustrações do miolo do livro (sim, ele é ilustrado!).


 

O livro está disponível em todas as bancas do Brasil, mas se não encontrar, você pode pedir diretamente para a editora. É só clicar AQUI. O livro tem blog próprio com novidades e constantes atualizações. Visite-o clicando aqui!

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Confira as fotos do lançamento em São Paulo!

Agora você já pode conferir as fotos do lançamento do Lua das Fadas na Livraria Fênix! Teve bolo e Coca-Cola, fotos e risadas! Pra conferir as fotos completas, é só visitar a nossa GALERIA! E amanhã tem mais! E não se esqueça da aula de Alquimia dos Dragões no Rio! É neste sábado!

Aqui somos nós fazendo careta pra quem não acredita em fadas!

terça-feira, 21 de junho de 2011

Lançamento, tarô e outra promoção!

Agora que voltei à vida já posso voltar a postar as curiosidades e novidades! O Lançamento na Livraria Fênix, em São Paulo, foi TUDO DE BOM! Gente animada, bonita e cheirosa com seu Lua das Fadas e aproveitando pra levar pra casa seu Magia Prática de Franz Bardon! E aquele bolo de morango com chocolate tava boooom! A Patrícia Balan, minha grande amiga astróloga que me ajudou a traduzir o Bardon, estava lá pela primeira vez em Sampa desde o Avalon (2005). Claro que todo mundo se apaixonou pela astróloga mais lunática do planeta! Olha aí umas fotos maneiras!

A nossa tradicional foto da careta! Essas a gente tirou no fim, então muita gente já tinha ido embora! Mas ficou a careta!

Essa a gente tirou pra não parecer maluco. Mas não funcionou com a Patrícia.

Aqui sou eu, o Pedro Guardião e a Patrícia tentando tirar foto do fotógrado e entender a máquina.

E aí estamos nós com o Luiz, estudando do Bardon!

Tem mais foto, gente! Eu posto essa semana, falou? Já aprendi a diminuir tudo de uma vez, então tá mais fácil! Mudando de assunto, a Saphyra Rubi, que se apaixounou pela história, também mandou uma linda carta do tarô das fadas que ela tem que traz uma imagem que ela achou a cara de Zac e Bianca. Veja você e dê sua opinião.


E nessa semana, eu já solto o resultado da Promoção Maluca das Fadas! E já solto também a nova promoção, essa com uma pergunta difícil que dará direito a um prêmio surpresa especial e a resposta correta sorteada receberá em casa um espelho encantado das fadas, para abrir portais para o reino das fadas, ajudando na realização de desejos, amizade, amor e boa sorte! Esse espelho é único, será feito e encantado por mim só pra essa promoção! Então, aguarde!

quarta-feira, 15 de junho de 2011

ÚLTIMO DIA DA PROMOÇÃO MALUCA DAS FADAS

Hoje é o último dia para concorrer a álbuns de Alcateia e ganhar revistas de graça! É só mandar uma foto de onde você encontrou seu Lua das Fadas, ou mandar uma foto legal com o livro, e você já ganha automaticamente uma revista Alcateia. Semana que vem tem resultado da promoção com os vencedores! Aproveita!!! Corre! "Avoua, besouro!" Ah! É só mandar as fotos e seu endereço completo para o e-mail eddie@eddievanfeu.com! Tá valendo até meia-noite de hoje, com eclipse e tudo!

Uma música de fadas

Gente, estou super corrida com a Iniciação dos Dragões neste domingo, o lançamento na sexta e a aula no sábado, então só passei hoje aqui pra deixar você com uma música que achei que fala de fadas. Não faz parte das músicas que selecionei para mostrar aqui que falam de algumas cenas do livro (aguarde), mas é bem bonita e pode alegrar o seu dia. Me perdoem por ela tocar assim que você abre o site, mas não sei como fazer diferente. Veja pelo lado bom. Pelo menos não é Rock!

Loreena McKennitt - To The Fairies They Draw Near

Músicas? É no Scrap Musical. http://scrapmusical.com

terça-feira, 14 de junho de 2011

Click das Fadas bate as asas para nós!

O blog Click das Fadas, o melhor blog que já vi sobre fadas e fofuras aleatórias (como Johnny Depp que, todos concordam, é uma fofura) está dando uma força para o Lua das Fadas. O blog pertence à nossa amiga do Reino Feérico Lilly Rose e ela fez uma super postagem sobre o livro! As fadas, Bianca, Zac e todos nós agradecemos o carinho! Clique aqui pra conferir! E aproveite pra deixar um comentário para esse mimo!

E aproveite para salvar nos seus favoritos esse blog super legal: clickdasfadas.blogspot.com/

sexta-feira, 10 de junho de 2011

LANÇAMENTO DE LUA DAS FADAS NA FÊNIX DIA 17 DE JUNHO

LUA DAS FADAS merece um lançamento, não merece? Então que assim seja, e assim se faça! Teremos um lindo lançamento do meu novo livro Lua das Fadas na Livraria Fênix (na verdade, no salão ao lado da Livraria Fênix), com direito a um brinde muito especial: a garrafinha do Ulrisk! Sim, é encantado. O que ela faz? Como funciona? Como usar? Só lendo o livro! Nossos encontros na Fênix são sempre legais. Da última vez, acabaram-se todos os livros, mas dessa vez levarei mais. Inclusive, o fresquinho, fresquinho MAGIA PRÁTICA - 10 Passos para a Iniciação, de Franz Bardon, que traduzi! Então, compareça para comer bolo, tomar Coca-Cola e refresco, comer uns salgadinhos, tirar um monte de fotos, levar seu brinde e guardar lindas lembranças desse fim de tarde com as fadas e as bruxas! Ah, sim! Participação especial nesse dia de Patrícia Balan, a astróloga e amiga que me ajudou na tradução de Bardon! Aproveitem, essa mulher é difícil de sair da toca!


E como esse dia é especial, teremos o sorteio de uma varinha de aroeira com cristais swarovsky feita e encantada por mim, então aproveite para comprar um livro lá (para participar do sorteio, é só comprar um livro lá). E pela primeira vez, teremos também o material do Portal das Luzes, como pós, poções, caixas e espelhos! Anote!

Quando: 17 de junho de 2011, sexta-feira, às 17:30.
Onde: No salão ao lado da Livraria Fenix
Av. Lins de Vasconcelos,3222 - V. Mariana - São Paulo - SP
Fone/Fax : (11) 5082-1536
Entrada franca e não precisa ser iniciado pra ir (antes que alguém pergunte...). 

Foto tirada pelo leitor Marcus, que já ganhou revistinha de Alcateia e está participando da promoção maluca das fadas!
 
E não se esqueçam de que no sábado temos duas aulas inéditas de Alquimia dos Dragões e no domingo teremos nossa primeira INICIAÇÃO NA MAGIA DOS DRAGÕES! Para saber mais, clique nos links ou mande um e-mail: eddie@eddievanfeu.com

Esse é o dragão de Lua das Fadas, uma homenagem a um dragão que tenho aqui em casa e que é uma gracinha. O verdadeiro, o que conversa comigo aqui em casa e me acompanha, é uma fêmea e trabalha com a saúde. Mas ficou feliz com a homenagem assim mesmo!
 

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Promoção Maluca da Lua das Fadas vai até dia 15 de junho!

Se você ainda não clicou, clique já e mande uma foto do seu livro ou do livro no local onde você achou para nós! Todo mundo ganha automaticamente alguma coisa e ainda concorre a álbuns de Alcateia! O livro aportou em bancas de toda a região sudeste, já tendo chegado em Sampa, Rio, Rio Grande do Sul e Santa Catarina! Compre o seu antes que acabe, pois estão chegando poucos exemplares. O livro custa 19,90 e traz um caderno interno em papel especial com as ilustrações da Carolina Mylius em sua visão dos habitantes do Mundo das Fadas. E olha só um comentário que recebi da Saphyra Rubi:


       "Lua das fadas
       Coragem, fé, superação, perseverança, força ligados por fortes elos de amizade e amor. Que livro bom!!!! Agora que o final se aproxima estou lendo bem devagar.
       A personagem Bianca mesmo aparentemente frágil possui uma força sobrenatural. Até no momento mais sombrio ela emana luz em suas ações e palavras."     
 

Oh!... Meu coração se aqueceu! Amanhã tem mais novidades!

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Capítulo 6 - Nos braços da brisa

 

Não foi difícil chegar até a floresta. O ônibus estava vazio e o caminho estava livre. Bianca pensara em deixar um bilhete, mas ficou imaginando se tudo desse errado e aquela empreitada não fosse a lugar nenhum. Como é que ela chegaria em casa depois de seus pais lerem um bilhete que dizia que ela tinha ido para outra dimensão atrás da amiga perdida? Não. Preferiu ir sem avisar. Tinha certeza absoluta que, quando voltasse, com a amiga ao lado, tudo lhe seria perdoado.

Saltou na frente da entrada da floresta. Teria que subir um bom pedaço a pé e não poderia demorar muito. O sol já ia nascer.

Chegou ao Lago das Fadas e o céu já tinha aquele ar acinzentado de quem deseja acordar. Sentou-se perto da fonte onde o leão vertia água e esperou, a cabeça pululando de dúvidas. E se nada acontecesse? E o que deveria acontecer? O anjo não lhe falara nada sobre um ritual, então trouxera apenas o que ele pediu. Sentia-se nua sem celular e ficou saudosa do seu I Pod. Olhava em volta e nada acontecia. Começou a se sentir estúpida.

– Você veio!...

Espantou-se com a voz em sua cabeça.

– Claro que vim! Você não me mandou vir?

– É que a maioria desiste assim que pensa melhor nos riscos... O que me leva a crer que você não deve ser muito esperta...
– Para um anjo, você é meio abusado...

Ela ouviu uma risada.

– E então? – perguntou ela. – O sol já vai nascer. O que eu faço agora?

– Pense na sua amiga e cante uma canção.

– Que canção?

– Qualquer uma. Pode começar.

“ E essa agora!”, pensou. Não lembrava de nenhuma música no momento. Estava tão nervosa!... De tanto ler, acabou decorando Blue Moon. E foi ela que cantou.

– Blue moon, you saw me standin' alone
Without a dream in my heart, without a love of my own...


Pensou em Analice e em tudo o que tinham vivido juntas. Como se conheceram, seus passeios, suas conversas, a quedinha que ela tinha pelo garoto da sala ao lado, seus medos e seus anseios e desejos para o futuro.

– Blue moon, you knew just what I was there for
You heard me sayin' a prayer for
Someone I really could care for


O Sol começou a surgir, banhando a floresta com uma suave luz dourada. No entanto, o lago começou a brilhar, como se fosse feito de platina e todas as árvores pareceram dançar ao som da melodia.

Espantada com o efeito, Bianca interrompeu a canção.

– Não pare!

Ela continuou, percebendo a beleza do lugar crescendo e todas as coisas vivas emitindo luz, pulsando em seu ritmo próprio. Sentiu que seu coração, antes acelerado, começou a entrar no ritmo do lugar.

– And then there suddenly appeared before me
The only one my arms will ever hold
I heard…
…somebody whisper "please…

Sentiu-se parte de tudo e uma imensa paz a invadiu. Seus olhos pesaram. Sua voz ficou mais baixa e mais enrolada.

– Não pare!

Ouviu o anjo e se esforçou por continuar, mas os olhos pesavam muito e a cada vez que os abria, mais o lugar parecia irreal. Até que, em algum momento, seus olhos fecharam e ela não conseguiu mais abri-los. Sentiu-se amparada por uma brisa suave e flutuou até o chão numa queda lenta.

Esse é o Lago das Fadas, na Floresta da Tijuca, que realmente existe e que inspirou essas sequências quando o visitei com a Carolina Mylius.

 E acabou!

Este capítulo continua, assim como o livro, mas se eu postá-lo inteiro e as vendas forem ruins, meu editor me mata (me joga lá de cima da pilha de encalhe), então, paro por aqui com os capítulos, mas continuarei com as atualizações, já que tem muita curiosidade pra dividir com vocês! Então, não deixe de visitar o blog! Também teremos mais promoções!

terça-feira, 7 de junho de 2011

Lua das Fadas no Skoob!

Um monte de gente escreveu que hoje, no dia dos Silfos, teve ventania em tudo que é canto. Aqui no Rio não ventou, mas fez frio, e Renato saiu assim mesmo e encontrou a Lua das Fadas! Tinha acabado de chegar numa banca aqui perto e ele comprou! Finalmente, pude ver de perto. Bom, a capa saiu muito escura e eles, sei lá por que, tiraram a transparência do texto na contracapa, matando um pouco a ilustração. Mas de resto, achei lindo! Mas eu sou mãe coruja, né? Já estou recebendo os primeiros comentários de quem leu e estou amando. Se você leu ou está lendo, faça sua crítica aqui no SKOOB. Aliás, aproveita e se cadastra, pois estou lá direto (mais do que no facebook). Se não quiser dar sua crítica, faça sua avaliação clicando nas estrelinhas! Um dos comentários mais fofos que recebi foi da Saphira Rubi, que disse que espera que o verdadeiro Zac um dia consiga me encontrar e pedir um autógrafo, pois ele ficaria muito feliz de ter sido homenageado desse jeito doce. Adorei! E sonhar não paga imposto! Então, te vejo no SKOOB!

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Capítulo 5 - O lugar certo, na hora certa, do dia certo





O problema das coisas invisíveis é que não podemos vê-las. Isso pode parecer o óbvio ululante pra você nesse minuto, mas para Bianca, ao acordar com uma poderosa ressaca, com seu pai falando, sua mãe rindo e Cacau latindo, pareceu uma grande descoberta filosófica. Deveria estar dormindo até mais tarde naquele sábado, mas não teve nem tempo de colocar as informações da noite anterior em ordem.

– Bom dia, alegria! Hoje é o dia!

Piscou várias vezes enquanto olhava para seu pai sentado na beirada de sua cama. Já ouvira isso antes... Mas porque seu pai estava ali, afinal?

– O quê? – foi só o que conseguiu formular às sete horas da manhã.

– Vamos, maluquinha, é hora de se divertir um pouco!

Ele jogou uma roupa em cima dela e sua mãe apareceu usando um short e camiseta. Ninguém respondeu suas perguntas, embora não tivesse certeza se tinha conseguido realmente formulá-las. Colocou a roupa, fresca e confortável, lavou o rosto e escovou os dentes. Foi apressada para o carro, onde Cacau também entrou. Cacau entrava em qualquer carro que abrisse a porta perto dela. Muitas vezes, foram chamados pelo vizinho para retirar uma vira-lata de dentro do carro dele.

– Pra onde estamos indo? – perguntou novamente.

– Sua mãe e eu achamos que há muito tempo não saímos juntos, nós três.

Cacau deu seu latido estridente de indignação.

– Nós quatro... – ratificou seu pai. – Então, tivemos a idéia de passar um dia juntos.

– Ah... – Bianca não parecia muito animada. Tinha feito planos para aquele dia. Precisava descobrir o lugar certo, o dia certo e o momento certo...

– Não precisa disfarçar sua empolgação! – disse sua mãe, notando que a menina não parecia muito feliz.

– Não é isso! – explicou. – É que eu tinha planejado ler hoje.

– Você lê todo dia! – continuou seu pai, ao volante.

– Pra onde nós vamos? – perguntou ela, percebendo que estava cedo demais para irem ao shopping.

Seu pai a olhou com os olhos negros pelo espelho retrovisor.

– Para o lugar certo.



Havia verde. Muito verde. Bianca morava perto, mas nunca tinha ido até a Floresta da Tijuca. Em dado momento, deixaram o carro e seguiram a pé, com suas cestas de piquenique e bolsas térmicas. Cacau ia na coleira, porque era muito burra e, sem coleira, saía correndo ensandecida para qualquer direção. Claro que Bianca não conseguia parar de pensar no que seu pai dissera no carro. “Para o lugar certo”. O que ele quis dizer com aquilo? Será que ele sabia das mensagens que estava recebendo? Ou faria ele parte das mensagens? E se Analice simplesmente o tivesse inspirado a dizer aquilo para dar uma dica para ela? E como diabos ela conseguiria fazer isso?! Bianca estava muito confusa. Ao chegar num restaurante que fica no caminho da subida, alguém gritou seu nome. Virou-se e viu aquele homem magro e alto acenando escandalosamente para ela.

– Tio Marcos?!! – Bianca não esperava encontrá-lo ali. Na verdade, não esperava encontrar ninguém ali.

– Achei que não viesse! – disse seu pai com um largo sorriso, estendendo-lhe a mão animado.

– O quê? E eu ia lá perder a oportunidade de achar mais um portal?

Sua mãe lhe deu um cutucão. Bianca percebeu, claro.

– Um portal? – perguntou a menina.

– É o nome de um livro que ele gosta e vive procurando...

– Mas se ele já tem, pra que quer mais um? – insistiu Bianca, percebendo as imensas crateras daquela história.

– É pra ler duas vezes! – respondeu Marcos. – Pra fixar melhor a história!

– Ele nunca entende da primeira vez, mesmo... – concluiu seu pai. – E Marcel, não vem?

– Estava viajando, mas disse que assim que voltar, combina algo conosco!

Seguiram estrada acima, com as imensas árvores como testemunhas, conversando sobre amenidades. Bianca seguiu em silêncio, levando Cacau na coleira, prestando atenção e com a pulga atrás da orelha. Seus pais pareciam saber mais sobre outros mundos e portais do que ela. Mas por que nunca disseram nada antes? E como fazê-los falar agora?...

Chegaram a um largo cercado por árvores e plantas e com mesas de pedras. O clima era fresco e as árvores farfalhavam ao vento. Sua mãe forrou a mesa com uma toalha vermelha e colocaram as coisas sobre ela. Ninguém tinha tomado café e a fome já batia à porta. Havia pão, requeijão, mortadela, manteiga, sucos e bolo. Tio Marcos contribuiu com uns bolinhos Ana Maria e alguns biscoitos. Bianca comeu, pois estava faminta desde o fim do ritual que fizera na noite anterior.

Talvez fosse o contato com as coisas reais do dia, talvez fosse o próprio amanhecer, mas o acontecido da noite anterior parecia perder a cada hora sua realidade. As chamas das velas cresceram mesmo ou fora sua imaginação? Um anjo lhe falara ou era só uma voz em sua cabeça? Aquelas informações eram reais ou só um truque do seu subconsciente? Talvez nada daquilo fosse mesmo real. “O problema das coisas invisíveis é que não podemos vê-las”, disse para si mesma. Tinha que se apoiar na fé de que não estava louca e pronto. Era muito para se pedir.

Nesse momento, fez uma escolha. O dia estava lindo e estava com as pessoas que amava. Aquilo era real. Era aquilo que iria viver, então. Entrou na conversa e se divertiu, comeu bolo e brigou pelo último biscoito. Bianca sempre foi sociável, embora do seu jeito por vezes bizarro. Sempre se dera especialmente bem com seus pais e com Tio Marcos. Era um dia perfeito. A única coisa de que sentia falta ali era Analice...

Depois do café, arrumaram tudo e recolheram o lixo, prosseguindo na sua caminhada para o topo. Enquanto seus pais caminhavam lentamente abraçados, ela, Cacau e tio Marcos ficaram para trás, observando-os. Ninguém tocara no assunto do desaparecimento da melhor amiga dela até aquele momento.

– Estão fazendo isso por você, sabia?

Bianca olhou para o seu tio, intrigada.

– Sabem que está triste e preocupada com sua amiga... – continuou ele.

– Ah... – suspirou ela, insatisfeita. – Querem me distrair, então... Como se eu fosse uma criança cujo sorvete caiu no chão.

– Não, não é isso. Querem lembrá-la de que há pessoas que a amam aqui. Você sabe que nós a amamos muito, não?

– Claro que sei! – respondeu Bianca, um tanto irritada, embora não soubesse porquê.

– Pois bem. Às vezes esquecemos. Dias como esse são para nos lembrar. Sua amiga pode não está mais com você. Mas nós estamos.

Caminharam em silêncio por mais algum tempo, até que ararinhas azuis cruzaram os céus, fazendo grande estardalhaço. O lugar era lindo e muito calmo, parecia parte de um outro mundo e ninguém poderia dizer que estavam no centro de uma das mais agitadas cidades do mundo.

– Tio Marcos?...

Ele olhou para ela, sem prever a pergunta que viria.

– Minha mãe e meu pai já estiveram em uma outra dimensão?

Tio Marcos arregalou os olhos e voltou a olhar pra frente.

– Todos nós vivemos, hora ou outra, em outras dimensões! – filosofou.

– Não enrola! – disse a menina. – Estiveram, não estiveram?

Um bando de quatis correu na frente deles, distraindo-os completamente.

– Olha! Uma cachoeira!

Bianca conhecia muito bem esse artifício de seu tio de mudar de assunto. Mas ele não iria escapar. Cedo ou tarde, iria descobrir a verdade.

A cachoeira era belíssima, lembrando um véu de noiva sob o sol. Tiraram muitas fotos nela. Também tiraram fotos dos quatis. Bianca voltou a pensar em sua missão de resgate. Se seus pais estiveram em outro mundo, então era possível que suas pistas estivessem corretas e não fossem simples imaginação. Bom, o anjo dissera que precisava encontrar o lugar certo. Seria aquele? Mas era um lugar enorme! Onde exatamente?


– Olha! – seu tio chamou atenção para uma placa. – O Lago das Fadas!

Bianca correu até lá, sem acreditar. Comprovou com seus próprios olhos. Havia um local chamado Lago das Fadas. Se isso não era um sinal, não sabia o que era. Pediu para irem até lá e foi prontamente atendida. Ninguém esperava que fosse tão longe. Subiram, subiram, subiram mais e Tio Marcos já estava pedindo para deixarem-no para trás e pedirem ajuda, pois ele ia ficar e morrer ali mesmo.

Mas chegaram. Era um lago com árvores dentro dele e rastros de luz atravessando a densa folhagem. Silencioso, possuía um ar bucólico e misterioso. Flores preenchiam o lugar com perfume forte e um leão vertia água pela boca numa fonte antiga.

– Que lugar lindo!... – exclamou sua mãe.

“Este é o lugar”, pensou Bianca, sem a menor dúvida, ao lembrar do panfleto que envolvia a pedra que atravessou sua janela. “Agora, só preciso achar o dia certo e o momento certo”.

Trouxera no bolso as folhas amassadas impressas com a letra da música. Lia e relia tentando achar uma pista, mas parecia apenas uma canção de um apaixonado. Foi quando leu o texto que veio junto com Blue Moon que não tinha lido antes. Depois da letra da canção e de sua tradução, um pequeno texto em um comentário desejava feliz Lua Azul a todos. Lua Azul? Achou que a tradução correta seria Lua Triste.

– O que é Lua Azul? – perguntou, lembrando que seus pais eram devoradores de livros e talvez soubessem.

– Já ouvi isso... Acho que tem a ver com fadas... – disse sua mãe.

– Calma, que eu já descubro isso!

Seu tio pegou seu celular de última geração, do qual tinha muito orgulho e adorava exibir, e entrou na Internet. Em alguns segundos, apareceu com a resposta.

– Lua Azul ou Lua das Fadas é a segunda Lua Cheia de um mês, considerada mágica por abrir portais para os reinos elementais. Diz-se que todo ritual feito nesse dia tem seu efeito multiplicado sete vezes. Nossa! Vou fazer uma simpatia pra ganhar dinheiro!

– E quando um mês tem duas luas cheias? – perguntou Bianca. – Achei que só tinha uma em cada mês.

Tio Marcos mexeu novamente nos botões de sua máquina mágica.

– Ahn... Só acontece de dois em dois anos...

Bianca desanimou. Teria que esperar dois anos para resgatar a amiga?

– Mas, olha só!!! Teremos uma Lua Azul amanhã!!!

– Sério?!

Bianca esticou o pescoço e conferiu a informação.

– Então – disse ela, – “domingo é o dia...”


Estiveram juntos por toda a manhã, até que, depois de chegar ao topo e ver a vista maravilhosa da cidade, voltaram. Deixaram Cacau em casa, almoçaram num shopping e esticaram para um cinema. Bianca não reclamou. No dia seguinte, partiria para um lugar do qual não sabia se ia voltar. Queria curtir o máximo que podia. Aproveitou uma passadinha no mercado para comprar as coisas que o anjo lhe pedira: doces e frutas.

Quando a noite chegou, arrumou suas coisas. O livro de fadas que recebera misteriosamente pelo correio lhe deu a última informação que faltava. O momento certo. Segundo ele, certos momentos do dia são especialmente mágicos, pois os portais para determinados mundos são abertos. Para o mundo dos seres encantados, dois momentos eram particularmente poderosos: o nascer do sol e sua partida, o crepúsculo. Depois de muito pensar, Bianca decidiu que a aurora seria o melhor momento para ela. Assim, arrumou as coisas numa pequena mochila, preparou sua roupa e foi dormir, o coração apertado entre a excitação de uma aventura e o medo de nunca mais voltar pra casa. Sentiu-se sozinha e teve vontade de chorar. O coração tremeu de medo. Pensou em desistir. Então, pensou também que Analice poderia estar sozinha em algum lugar também. Renovou sua coragem e disse para si mesma:

– Eu vou, encontrarei Analice e voltarei, custe o que custar!



Não dormira muito. Na verdade, quando achou que tinha finalmente dormido, o celular a despertou. Eram quatro e meia da manhã. Arrumou-se em silêncio, pegou sua mochila e as coisas na geladeira. Mesmo sendo arriscado, foi até o quarto dos seus pais e os espiou longamente. Eles dormiam abraçados, como poucos casais com tanto tempo de casados ainda faziam. Os cabelos negros dos dois se misturavam belamente.

– Eu volto... – sussurrou.



Cacau a esperava na porta sentada como se lhe fizesse uma cobrança. Ela lhe fez um longo carinho e a abraçou, sussurrando:

– Eu volto!...

E, então, com os olhos cheios de lágrimas e o coração apertado, deixou a casa.

Promoção Maluca Lua das Fadas tem seus primeiros vencedores!

 
A promoção maluca da Lua das Fadas já tem gente recebendo prêmios! Basicamente, você manda fotos com seu livro Lua das Fadas e manda pra mim por e-mail ou posta no seu facebook e me avisa. Todo mundo que mandar foto com o Lua das Fadas vai ganhar uma revistinha da Alcateia. As fotos mais criativas vão ganhar o álbum Alcateia #1 autografado. E quem mandar uma foto do Lua das Fadas exposto em alguma bancada de banca ou livraria pode ganhar os álbuns #1 e a revista #2 autografados. A Kátia já garantiu o dela! E então? Vamos clicar fadas por aí? É só mandar suas fotos para o e-mail eddie@eddievanfeu.com ou postar no facebook e avisar, mandando também seu endereço completo com CEP! O Lucas Semensato fotografou o livro em exposição e já ganhou o álbum Alcateia 1 e a revista 2. O Luís Henrique ganhou a revistinha de Alcateia e está concorrendo ao álbum. Mande logo suas fotos!

Capítulo 4 - Rafael não pode atender no momento...



A sexta-feira lhe trouxe um gosto amargo. No domingo, faria uma semana que Analice estava desaparecida e nada havia mudado. No mundo são, a hipótese de fuga havia sido levantada. A família não tinha inimigos (ou ao menos, não no nível de sequestrar a filha) e nenhum pedido de resgate havia sido feito. No diário da menina, muitas fantasias sobre ir embora para um lugar distante onde pudesse conhecer coisas novas apontavam para seu desejo de partir. A polícia afrouxava as investigações, sem saber mais onde procurar. Mas este era o atual cenário, como disse, no mundo sensato. No seu mundo, no entanto, onde a sanidade era frequentemente questionada, as pistas pareciam cada vez mais malucas. Segundo elas, Analice estava no mundo das fadas e precisaria de um anjo para chegar lá. E não era um anjo qualquer, tinha que ser um anjo importante, desses que devem receber milhares de e-mails por dia. Estava sentada em sua carteira, sem conseguir prestar atenção na aula, observando a carteira vazia de Analice. Olhou em volta. Ninguém parecia ligar. Os colegas conversavam normalmente, o professor prosseguia sua aula, o relógio continuava a marcar a hora. Nada mudara. Nada parara. Aparentemente, somente ela estava realmente preocupada com Analice.

Bianca se lembrou como foi difícil romper a barreira que a amiga construiu ao seu redor. Analice vinha de uma outra escola, de uma outra cidade e era evidentemente uma novidade. Os outros adolescentes a olhavam com curiosidade, mas Analice permanecia séria e distante. Analice usava muito preto. Insistia em usar lápis e batom negros e manter a imagem de gótica chic. Falava baixo e nunca sorria. A maldade peculiar do ambiente de escola logo lhe deram um apelido óbvio: Vandinha. Analice não pareceu se importar, mas Bianca sabia que era só uma atuação. Ela mesma, que recebera muitos apelidos no decorrer da vida, sabia que eram apenas rótulos que os colegas usavam para tentar compreender outras pessoas. Bianca por exemplo, era a Bianca Maluca. Quando estavam mais dispostos, usavam seu nome completo: Bianca Maluca Pirada da Silva. Bianca não se importava. Seu pai lhe explicara que as melhores e mais brilhantes pessoas que já conhecera eram malucas. Bianca aprendeu muito cedo a ser livre e não depender da aprovação de ninguém para seguir o caminho que escolhesse. Por isso, escolheu se aproximar da garota mais esquisita da escola.

Achou que ia encontrar uma dessas wiccanas e, para puxar assunto, comprou uma revistinha na banca chamada Wicca e leu. Gostou e, num intervalo de aula, ofereceu a revista para Vandinha, tendo o cuidado de chamá-la de Analice. Espantada, a menina aceitou a revista, pegou suas coisas e, sem agradecer, levantou e foi para uma carteira vazia lá atrás. O professor entrou e a aula começou. Bianca temeu que tivesse cometido uma gafe, mas não havia nada que pudesse fazer naquele momento.

Ao fim da aula, enquanto arrumava suas coisas, Bianca foi surpreendida por uma Analice de pé ao seu lado, devolvendo-lhe a revista.

– Gostei muito! Obrigada – disse a menina.

– De nada...

Analice ficou parada diante dela e Bianca não sabia bem o que dizer, pega de surpresa pela atitude amistosa.

– Você quer lanchar comigo? – perguntou Bianca.

Analice ficou parada algum tempo, como se pensasse longamente sobre o assunto.

– Talvez outro dia.

E foi embora. Bianca poderia lamentar a derrota, mas ela não era esse tipo de pessoa. Bianca era o tipo que comemorava vitórias, mesmo quando elas eram pequenininhas. Tinha dado um passo na direção certa. O objetivo só estava mais longe do que pensara. Teria que dar mais alguns passos, só isso. Assim, nos dias seguintes, levou uma revistinha Wicca diferente para ela. Descobriu que tinha mais 100 números diferentes, então podia fazer isso por, no mínimo, 100 dias. Felizmente, não precisara de tanto. No terceiro dia, Analice lhe sorriu e aceitou seu convite para lanchar.

Bianca sorriu ao lembrar de sua cara quando descobriu que Analice não era wiccana, nem mesmo sabia o que era Wicca, mas que tinha gostado tanto das revistinhas que estava pensando seriamente no assunto. Não demorou muito e se tornaram boas amigas. Não, um pouco mais do que isso: melhores amigas.


Um som chamou a atenção da turma, tirando também Bianca de seu passeio pelo passado. O professor foi até a janela e os alunos acabaram por fazer o mesmo assim que a música começou. Bianca foi até lá e viu um grupo de mexicanos vestidos à caráter com seus enormes chapéus cantando Blue Moon. Uma placa dizia “Feliz Aniversário Bianca! Domingo é o dia!”

Toda a turma começou a rir e cumprimentar Bianca pelo seu dia, enquanto a melodia se espalhava por todo o lugar e a menina continuava olhando abismada. Alguém estava insistindo na mesma pista. Só precisava entender o que significava.


Assim que a aula acabou, saiu correndo para casa. Entrou esbaforida e foi direto para o computador. A casa estava vazia, os pais estavam trabalhando, mas ela não iria parar para almoçar. Não podia perder mais tempo. A placa dizia “Feliz Aniversário, Bianca! Domingo é o dia!”. Sabia que seu aniversário só aconteceria dali a seis meses. Então, o que isso queria dizer? O que aconteceria domingo?

A primeira coisa que fez foi ligar seu computador e imprimir a letra da música e sua devida tradução. Algo lhe tinha escapado, a pista estava ali. Entrou na Internet e baixou algumas versões da música, não sabendo exatamente como isso ia ajudar. Era uma mulher desesperada. Precisava entender o que aquilo queria dizer.

Um carro de som estacionou na frente de sua casa e começou a tocar alguma coisa.

Bianca apurou os ouvidos, acreditando que fossem tocar o raio da música de novo. Mas dessa vez, não houve música, mas uma voz anasalada e unicórdica dizendo:

– Pamoonha! Pamoonha! Olha a pamooonha quentinha! Quem quer pamoonha...

Bianca voltou à sua busca, percebendo que nem todo som era direcionado para ela. Continuou procurando alguma coisa referente à música, mas nada lhe tocava algum sino. Já estava imprimindo quando ouviu lá fora:

– Pamoonha! Fadas gostam de frutas! E gostam de doces! Fadas gostam de pamoonha!

Bianca correu novamente para a janela. O carro da pamonha já virava a esquina, repetindo sua cantilena, mas sem citar fadas novamente.

“Essas pistas estão muito estranhas... Não pode ser o Universo! Tem que ser alguém...”, pensou.

A resposta veio claramente a sua cabeça.

“Analice! Analice está me mandando as pistas de onde ela está! Não sei como, mas ela está!”

Bianca pegou seu caderno e as impressões da música. Pegou também o livro que recebera sobre o mundo das fadas e foi para sua cama, onde sempre pensava melhor. Começou a colocar as pistas em ordem. Espalhou-as sobre a cama e as observou:



1. Cuidado! Fadas!

2. O Tabuleiro abre portais.

3. Analice não está no reino dos mortos.

4. Analice está em outro mundo. Viva, espera-se.

5. Os índios apaches colombianos da pracinha tocaram Blue Moon para ela.

6. Livro das Fadas que chegou misteriosamente pelo correio.

7. O Arcanjo Rafael rege o Reino das Fadas, juntamente com Paralda.

8. Os mexicanos, provavelmente colombianos da mesma família dos índios, tocaram Blue Moon para ela pela segunda vez.

9. Fadas gostam de pamonha.

Essas eram as pistas que tinha. Não sabia o que a última queria dizer. Mas sabia que precisava falar com Rafael. Como fazer isso? Levantou-se e foi até a imensa biblioteca da casa. Tinha uma parte sobre misticismo, magia e bruxaria. Bianca já tinha lido algo sobre isso e acreditava que era possível falar com seres de outros mundos através da magia. Com Rafael, não deveria ser diferente. Pegou os livros que abordavam o tema e procurou o que lhe interessava. Ao fim daquele dia, falaria com um anjo e teria uma resposta sobre Analice.


Gostaria de esperar todos irem dormir para começar o ritual. Temia que alguém irrompesse no aposento e a encontrasse cercada de velas e incensos. Sabia que sua mãe era mais aberta a esse tipo de coisa, mas seu pai não gostava muito dessas coisas que ele mesmo chamava de bruxaria. Bianca achava que por vezes seu pai era tão religioso que poderia ser um padre, embora não conseguisse imaginar um homem como aquele, do tipo que chamava a atenção onde quer que fosse, mantendo-se fora de problemas com paroquianas.

Infelizmente, a hora adequada para chamar Rafael era nove horas da noite na sexta-feira. Teve que contar com a sorte, então. Trancou a porta e aguardou a hora certa, segundo uma tabela de horas relacionadas a gênios ou anjos. Olhava para o relógio ansiosa. Nunca tinha feito isso antes e estava nervosa. O rádio tocava uma música ambiente, trilha sonora de algum filme. Começara de forma inspiradora, mas quando o relógio acusou a hora certa, a música imediatamente se tornou mais sombria. Bianca acendeu as cinco velas coloridas sobre a mesa onde um pentagrama havia sido desenhado. Acendeu os incensos e começou a recitar o encantamento no livro, tentando ignorar a música de terror assombrando seu quarto.

– Tu autem Domine susceptor meus et gloria meã et exaltans caput meum...

Um calafrio percorreu-lhe o corpo. Eram 72 salmos em latim para, somente então, chamar especificamente por Rafael. Não podia se distrair, nem errar. Concentrou-se e continuou. A fumaça do incenso espiralou e dançou, como se acompanhasse a música. Envolveu-a como se fossem pequenos dragões do ar, enquanto sua voz continuava a recitar as palavras em latim.

Quando terminou, chamou por Rafael sete vezes. Na última vez, as chamas das velas cresceram e se tornaram azuladas e a fumaça do incenso se tornou reta como uma corda esticada.

Bianca ficou parada, esperando algo mais acontecer. Não sentia mais calafrios, pelo contrário, estava morrendo de calor, como se houvesse uma lareira acesa no quarto. As chamas das velas voltaram ao seu tamanho e cor normais e a fumaça do incenso voltou a dançar e formar desenhos no ar. Bianca relaxou os ombros, decepcionada. Não havia funcionado.

Foi quando ouviu uma voz.

– Foi você quem chamou?

Bianca não respondeu de pronto. Estava confusa, porque a voz parecia clara, mas vinha de dentro de sua cabeça.

– Foi você? – repetiu a voz.

– F-foi... – gaguejou ela, achando estranho responder aparentemente para si mesma, já que a voz continuava dentro de sua cabeça.

– Bom... O que posso fazer para ajudá-la?

­– Você é Rafael?

– Não, ele está muito ocupado no momento. Mas vim em nome dele, pode dizer o que você quer.

Bianca tinha um monte de perguntas, mas sabia que precisava ir direto ao ponto.

– Minha amiga Analice desapareceu domingo passado. Eu acho que ela está no Reino das Fadas. Pode me ajudar a encontrá-la?

A voz não respondeu de imediato, como se não esperasse aquele tipo de pergunta.

– Alô? – Bianca temia ter caído a linha.

– Estou aqui. Estou apenas verificando seu pedido. Aguarde um momento, por favor.

Bianca achou ter ouvido algo em outra língua, mas foi muito rápido. Tudo ficou em silêncio e ela continuou esperando, achando que aquilo estava parecendo com um serviço de telemarketing. Algum tempo se passou em que Bianca não ouviu absolutamente nada além da música que ecoava no quarto e algum cachorro latindo ao longe.

– Você conhece os perigos do Mundo das Fadas? – perguntou finalmente a voz.

– Conheço... – Bianca não estava muito segura.

– Então sabe que ao ir para lá, pode nunca mais voltar?

Bianca não respondeu. A voz parecia jovial, mas muito séria.

– Sabe que ao tentar recuperar o que perdeu, pode perder tudo o que tem?

– Não procuro tesouros! – respondeu Bianca de repente. – Não quero ir porque estou curiosa, embora esteja mesmo. Não quero ir para ver uma fada de verdade. Quero ir porque minha melhor amiga foi levada para lá e pode estar sozinha ou em apuros agora! Sou a única amiga de verdade dela, ela só tem a mim para ir até lá. Se você fosse arrastado para um outro mundo, e estivesse em perigo, ou sofrendo, não gostaria que alguém que o amasse o bastante fosse até lá resgatá-lo?

Houve um breve silêncio.

– Você aceita os riscos, então?- disse a voz, em tom mais baixo, e Bianca quase notou um traço de decepção.

Bianca respirou fundo.

– Aceito.

Fechou os olhos, esperando que uma ventania adentrasse o quarto e ela fosse sugada para uma outra dimensão. Mas nada aconteceu. Abriu os olhos novamente. A fumaça branca do incenso ainda dançava, as velas ainda aguardavam tranqüilamente.

– Muito bem... – tornou a voz. – Você deverá escolher o momento certo, do dia certo, no lugar certo e fazer o que tem que fazer. Não deverá levar consigo nenhum aparelho eletrônico. Mas deve levar o seguinte:

Bianca ficou atenta esperando o resto.

– Anote! Ou você pode esquecer!

Ela pegou atarantada um bloco e uma caneta e começou a anotar o que a voz lhe dizia.

– Você deve levar frutas, doces e coisas que você coma, além de uma garrafa de água. Não precisa ser em grande quantidade, apenas o bastante para uma refeição. Não leve carne de nenhum tipo.

“Puxa, que pena, não poderei levar 20 kg de costela pra fazer um churrasco...”, pensou Bianca, achando o conselho um tanto idiota.

– Você pode não levar costela, mas bem que ia gostar de levar um frango assado com farofa, sua farofeira! – disse a voz, surpreendendo-a.

– Você pode ouvir o que eu penso???

– Posso ouvir e posso ver. Então é melhor tomar cuidado com seus pensamentos.

– E lá se foi minha privacidade... – murmurou a contragosto. – Muito bem, não levar carne, e o que mais?

– Você não deve comer nenhum tipo de carne a partir de agora. Nem beber bebidas alcoólicas. Você deve levar, e isso é muito importante, uma coisa que a lembre de quem você é e de onde você veio. Você deve levar algumas jóias, não precisam ser verdadeiras, mas precisam ser brilhantes e bonitas. Não vá de preto. Nos encontraremos lá!

– Peraí! Lá onde?

– Você não estava prestando atenção? No lugar certo, no momento certo do dia certo!

Bianca sentiu a energia à qual já estava se acostumando começar a se afastar.

– Espere! Qual o seu nome?

– Zacariel.

E foi a última coisa que ouviu da voz, que desapareceu logo depois. Bianca foi até o interruptor e acendeu a luz. Foi apagar as velas e se surpreendeu em como elas estavam menores. Olhou o relógio. Começara o ritual às nove horas da noite, exatamente. Eram agora quase uma hora da manhã. Como não percebera que já haviam se passado quase quatro horas? Apagou as velas e recolheu tudo. Deitou-se, exausta. Queria pensar mais no assunto, mas assim que encostou a cabeça no travesseiro, o sono a levou.